domingo, 6 de março de 2011

Eu sempre faço o melhor que posso.

Este post é sobre um sonho realizado e um encontro com um ídolo.

Tudo começou naquela manhã, eu estava bem humorado, o frio da cidade me acalmava e tudo tinha que dar certo. A poltrona do ônibus era a 21, meu número da sorte. A viagem correu bem. Chegando no destino fui surpreendido por um calor infernal, mas nem aquele sol de rachar a moleira iria atrapalhar meu momento.
Como sempre, dediquei uns momentos anteriores para vistoriar o terreno. O local da apresentação estava vazio, quase deserto. Nenhum fã, fora eu, avista. Estava cedo e não compensava ficar ali.
Duas horas antes do início eu resolvo ir até o local e pegar um bom lugar, afinal não era apenas um show. No caminho eu encontro alguém, meu coração dispara e eu não sei o que fazer. Era o Carlos Stein, ex-engenheiro do hawaii e guitarrista do Nenhum e junto com ele estava o Veco, também guitarrista da banda. Com um pouco de coragem eu consegui falar com eles, meio sem jeito, mas consegui.
Segui meu caminho, sentei num lugar muito próximo ao palco, ninguém estava ali ainda. Me senti como o único fã da banda e por muito tempo achei que seria o único ali.
Bom, para minha felicidade aparecem as meninas do fã-clube ''Ser Nenhum de Nós''. Conversei um pouco com elas e também escutei as histórias delas. Talvez não fosse um fã tão fanático quanto elas pela minha idade e também pela falta de dinheiro, mas eu fiquei fascinado ao ouvir as aventuras que elas tinham passado pra ver a banda. Eu só tinha uma pra contar, e que estava sendo escrita naquele momento, e elas tinham várias.
A cada instante que passava eu sentia que estava mais próximo da banda, até que o momento chegou. Eles entraram no palco e eu não sabia como reagir. Eles estava ali na frente e eu sentado só esperando algo acontecer. Então o Sady pega as baquetas e puxa a introdução de Outono Outubro. Assim começou, com minha música favorita. Eu cantei o mais alto que pude, não me importei com afinação nem com quem estava perto, aquele momento era meu.
Não sei se vou lembrar a ordem da playlist agora mas senão me engano as que tocaram foram Outono Outubro, Amanhã ou Depois, Paz e Amor, Das Coisas Que Eu Entendo, Sobre o Tempo, Da Janela, Julho de 93, Você Vai Lembrar de Mim, Ultimo Beijo, Camila,Camila.
Confesso que quando o Thedy começou a cantar o ''OO uo ô'' de Sobre o Tempo eu me debulhei em lágrimas. Parecia que tudo fazia sentido naquela hora.
No final do show eu quase peguei a baqueta do Sady mas não deu certo. Estava indo embora quando vi que tinha uma fila na porta do camarim. Pensei e resolvi ficar. Esperei um pouco, olhei, e logo apareceram o Thedy e o Veco pra cumprimentar o pessoal. Fui na galera que estava perto do Thedy e la fiquei só olhando. Consegui espaço e pedi pra uma alma bondosa tirar uma foto minha com o Thedy. Naquele momento eu estava do lado do meu ídolo e tirando uma foto, algo que pretendo guardar pra sempre. Após aquilo ele me surpreende perguntando se eu sou o Couto do Twitter. Aquilo me enche de alegria e me debulho em lágrimas. Meu ídolo lembrou de mim, mesmo sem ter me visto.
O melhor dia da minha vida foi aquele. E corri pra casa, feliz igual uma criança quando ganha um brinquedo novo e com um rumo na minha vida.
Obrigado Nenhum de Nós.




5 comentários:

Alessandra Oliveira disse...

Estou muito feliz por você, de verdade. Fico me imaginando conhecendo o Humberto *-* Obrigada por me dar esperanças (:

Molly disse...

Fico muito feliz por você :) Eu estava lendo aqui e quase chorando, me lembrando do meu dia *-*

(Rafael) Couto disse...

@Molly,
Mas você não pegou no Paul HA!

Cíntia Freitas Fernandes disse...

Imagino a Felicidade =D

(Rafael) Couto disse...

@Cíntia,
Foi um sentimento inexplicável. Santa Felicidade mesmo. Faria tudo de novo.

Postar um comentário